quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

amargura / amar cura

o meu passado cai em uma lágrima só, de canto de olho
eu não te digo em palavras o universo inteiro que sou
nem te comunico as minhas dores, os meus medos ou o mistério que carrego
mas você sabe.
você sabe sem que eu te expresse.
porque você lê além do sorriso e do olhar.
você lê além das mãos que te param.
enxerga mais, porque se interessa
e eu me sinto bem no seu colo, no seu abrigo, no amor que cura.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

estranho estranho amor

Eu quero sugar todo o seu desejo
Quero me saciar do seu gozo
Quero jogar-me no seu colo
e desfalecer de prazer

Mas eu me importo com quem você se deita 
te arranho em pensamento com a raiva que me dá
te grito palavras de ofensa e desaforo
sem nem você aqui para escutar

Eu me importo com os meus defeitos
e tento mascará-los para você não os expor
e me aflige a saudade que me ataca
e por eu não mais conseguir me controlar

Mas não te peço que aceite

este estranho estranho amor
Porque eu não sei se o quero
Não sei se tolero
este tipo de gostar

Meu corpo combina com suas mãos
seu jeito e sua língua em mim
Mas quero sair correndo 
por medo de me render



(releitura de "Nosso estranho amor", do Caetano Veloso)