quarta-feira, 2 de setembro de 2015

"eu sou mais forte do que eu"

eu sinto as dores do mundo também
e elas me cegam
as sombram me assustam
eu sempre quis mais do mundo
eu esperava outra coisa
mas eu não vou esmorecer
não vou deixar dissolver em mim a vontade de salvar a poesia do mundo
eu sempre acreditei no melhor das pessoas
uma das minhas qualidades, talvez
uma das minhas fraquezas, conhecida como "criação de expectativas"
mas o problema não está nas pessoas
e não está em mim, só
está no tempo que desencontra
mas buscar a culpa é viajar de frente para trás
e eu quero caminhar adiante
eu quero o próximo capítulo
aquele em que há o aprendizado 
aquele em que a dor se transformou em sabedoria para fazer diferente
eu quero fazer diferente
sorrir por dentro
entender o passado não por análise, mas por perdão
e saber que eu sou mais forte do que eu.
"eu sou mais forte do que eu"
Obrigada.


2 comentários:

Filha da Lua disse...

A gente sempre é...

Ricardo Aquino disse...

para Anadri



Não se pede para nascer poeta,
não se pede para nascer... assim... complexo,
dentro de um furacão, em qualquer turbilhão,
não, não se pede, nem aprovação
e o que poderia ser benção
beira amiúde a maldição.
O eterno selo de inquietação
aguçada por uma extrema sensibilidade,
um pouco de toda pertubação humana,
altas de conflitos místicos,
vidas a explicar, entender e amar.
Não se pede para ser poeta,
porque não dá,
é como uma marca de nascença interna,
que queima quando o grito dorme calado,
quando a pena escapa da palavra.
É assim, espalhando vida
através de sílabas e sentimentos,
vozes e silêncios.
Nasce-se assim minha caríssima poetisa,
como amanhece todos os dias e anoitece todas as noites,
como se nascesse com você a tua sentença,
e tua poesia me faz dizer
que você é muito maior e mais forte do que você pensa!