segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

tempo caro

Eu me agarrei fortemente ao passado
por não suportar o presente
e temer o desconhecido futuro

Hoje me despeço/desapego do ontem
toco o agora com a alma
e não penso (tanto) ,
nem temo
o que virá.