terça-feira, 19 de outubro de 2010

com ou sem atenção, fácil e ligeiro, chegue de pertinho e pergunte:
tem alguém aí?
pode acontecer que ele responda que sim. caso assim for, entre de mala e cuia. sem fazer perguntas.
mas pode acontecer que ele responda que não. neste caso, ele mente. entre assim mesmo. mas leve seu próprio colchão.
e ainda há uma terceira opção. ou você é desses que se contentam com só duas? e a terceira opção é a seguinte: ele não responde, o que quer dizer, à princípio, que não está. neste caso, espere na porta. melhor se tiver uma taça, uma garrafa e muita paciência. quando ele sai, não tem hora prá voltar.
boa sorte!

sábado, 16 de outubro de 2010

quando a raiva toma conta...

Não venham me obrigar a aceitar, feito remédio jogado "guela abaixo", toda a hipocrisia e a insensatez de seus mundos. Não queiram que eu participe dessas reuniões vagas, em que toda a bebida do mundo é pouco para a loucura que querem disfarçar. Não sou assim, não faço mais parte. Não sou audiência para esse mundo cheio de recreio, cheio de vazio, cheio de nada mais por que desejar. Eu sou humana, vê!? Não máquina feita em Body Factory. Adoro flores. Mas não me joguem os espinhos de suas ausências. Não são pérolas. Não são alimento para alma de quem tem alma pra dar. Eu digo não e isso me faz bem. Eu digo não e peço que o façam também. Eu desligo, desconecto, torno-me off. Off de tanta dor sendo entitulada "entretenimento". Prá lá os que querem fazer de meu sono uma sala de espera. Desligo as televisões. Apago os celulares. Esvazio os copos. Escuto minha própria voz. Danço com minha própria solidão. Vejo o meu corpo desnudo. Entendo a fragilidade da minha mente. Cuido dessa mente. Sou mais feliz. Luto pela liberdade de não aceitar toda e qualquer informação que chega, que atropela, que é despejada.



O resto é resto. O resto é vida.


"La flor de la noche, pá quien la merece"

CREDO MUTWA : BEFORE MY EYES CLOSE IN DEATH

'ensaio sobre a cegueira'

Hoje eu enxerguei um pouco o mundo dos cegos.
Eu vi, sem ver, a beleza de se ter um amigo.
Eu vi, sem ver, o sorriso na pele daqueles que me rodiavam cheios de fraternidade.
Eu, normal e cego, soube bem o que vi com as mãos, os ouvidos e o coração.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

dia dos professores


Ensinar é, 100% das vezes, aprender.
Feliz dia dos professores a todos os meus alunos! :)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Não me incomoda o silêncio. A falta de som não é falta de vida. Não me deixa em solidão a companhia de meus pensamentos. O pouco barulho me conforta, me permite ouvir o que bate aqui dentro. A nuvem lá em cima já não me tira a expectativa de sol. Há sol do lado de cá também. A minha música, hoje, é o som do tempo.
tá chovendo hamburguer.
e isso é nome de filme. Ai, meu Deus!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

"This rose will never die"

So tell me, my lady, what happens then?
What shall I expect to see after this long night of sleep of yours?

Should I wait a little longer for your eyes to open?
Should I try not to give up and still hope your white face won't be so pale by sunrise?
Should I not grieve when not listening to your heartbeats?
Should I wait 'till tomorrow, lady of mine?



(listening to Lady D’arbanville - Cat Stevens
thinking of my dear sister)

terça-feira, 5 de outubro de 2010

a decepção

Silenciosa, como a sombra que acompanha o entardecer
Pálida e fria, feito a morte
Lenta, porém em movimento contínuo, sem parar
Direta, objetiva, quase-física
E não tem como parar de sentir, a não ser que o tempo volte atrás, ou que o futuro chegue mais rápido, trazendo a compreensão

De um sentimento assim, aprende-se

domingo, 3 de outubro de 2010

alimento

De repente a gente percebe que o verdadeiro alimento é aquele que ganhamos quando estamos em jejum.

sábado, 2 de outubro de 2010





o que reflete, é vida.
o que se vê, irrreal.
o que se sente, matéria.
o que penetra, espiritual.