terça-feira, 31 de agosto de 2010

o amor.

cuidadoso, de mansinho, com fala leve e bem direto.
chega ele, cauteloso, feito barco em rio lento.
vem prá perto, bem pertinho,
faz seu canto, cria um ninho.
entrelaça, costura e traça,
aqui dentro, o seu caminho.
lá vem ele, tão suave,
construir o seu cantinho
bem no centro, no meu peito
já faz ele o seu bercinho.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

entre 4 paredes...

- Amôor, fala que você é meio chip chip?
- Que história é essa de chip chip?
- Por favorzinho, fala!
- Eu não! Que história é essa? Ficou doida?
- Amôor, só vou ficar calada se você falar que é meu chip chip.
- Eu sou seu chip chip. Boa noite.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

fonte. forte.
sê calmo.
cê vem.
um canto.
teu sonho.
meu pranto.
sê alma.
cê tem.
fonte. forte.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

a força

não tá do lado de fora.
não tá no cabelo, Sanção!
não tá no livro auto-ajuda.
nem no mar,nem no chão.

não tá no que a gente vê.
mas tá no que a gente sente.
tá onde o calor faz ninho.
tá no abraço mais quente.
não tá no trevo e nas folhas
nem tá no pé de coelho
tá na alma de quem precisa
tá dentro do espelho.
tá no meio da gente: no centro.
não tá longe de alcançar.
não tá fora nem longe:tá dentro.
é só a gente buscar.






(porque não tem cabelo caindo, nem morte chegando, que tira de quem tem coragem a força de viver)

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Metapoesia

Desfeita
a poesia nasce
Satisfeita
junto as peças
Perfeita
sem rima nem nada
Enfeita
os livros e estantes
Direita
sem cometer abusos
Estreita
laços e relações
Sujeita
a alguma alteração
Suspeita
a poesia e sua meta
Bem feita
pronto e acabou.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Histórias do Pedrinho 1

A mamãe, carinhosamente, coloca o Pedrinho, que já está bem sonolento, para dormir:
A mamãe diz:
- Boa noite, meu príncipe!
E Pedrinho responde:
- Boa noite, piscina!

(Pedrinho tem 4 anos, olhos bem negros e o abraço mais apertado do mundo)

domingo, 15 de agosto de 2010

Clube da esquina

Eu quero morar com você. Sopre o vento que for, passe o trem das cinco ou das seis, não me importa qual vestido vou usar nem o tom dos seus cabelos. Quero morar com você, na mesma rua, na mesma vida, no mesmo tempo. Quero morar com você e não me vale apenas um dia, uma hora, ou tempo pouco qualquer. Quero a vida toda, essa e outras, e quanto mais você quiser. O meu pensamento tem a cor dos seus olhos. O meu girassol tem a cor dessa manhã. Hoje é domingo, e quero morar com você.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

vai, saudade
rainha que mora em mim
vai pra longe, vai?
me deixa!
poesia mais sem graça, você.
vai, saudade
que arranha e arrasa
ô, saudade ruim!
saudade do que não tem volta
e me dá voltas,
e pesa,
e me deixa assim.
vai, saudade
deixa de morar aqui
faz casa em outro canto
traz ela de volta pra mim!


(para Paty)